Páginas

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Grandes meninos, pequenos homens


Ah! Tanto desejo e ansiedade, tanta vontade entrelaçada a tanto temor e apreensão.
Acredito que a primeira vez pareça mesmo que será a ultima, uma espécie de vamos logo com isto que quero também ser membro da grande classe dos “normais” e ser aceito por todos.
Aquela sensação de ritual de iniciação muito pior que participar daqueles jogos tribais onde os meninos são lançados das alturas apenas presos pelo pé por um cipó retorcido.
Digo muito pior porque, nestes tipos de jogos tribais todos já sabem que os que participam são iniciados, já os rituais das comunidades evoluídas são individuais e velados.
É nesta fase que o homem mais usa sua mente contra ele mesmo, se tortura numa cobrança infinita como se a experiência deveria ser qualidade de nascença.
Quanta testosterona perdida em meio aquela vontade de fazer direito, em meio à obrigatoriedade de ser “o cara”.
Engraçado como ao passo que o homem vai diminuindo a sua virilidade jovial adquiri uma certa experiência e aprende a lidar muito melhor com seus temores.
Digo lidar melhor, pq os temores de um homem nunca cessam, estes vão variando entre os “ninguém pode saber que ainda nada sei”, “tenho que saber mais que os anteriores que ela teve” e por fim quando estes ficam tão passadinhos e já não se esquenta com isto vem aquele...”quanto tempo me resta de virilidade para eu curtir esta coisa tão boa”.
Penso que o homem deveria nascer velho e impotente, para que tivesse que começar a sua vida sexual percebendo detalhes que se passam desapercebidos sobre sua parceira, no afã de dar a ela o melhor sem ter virilidade alguma e conforme este estudo fosse se aprofundando ao longo dos anos a sua virilidade iria se despertando como um prêmio de bom comportamento e devoção ao prazer alheio.
Quando chegasse a ponto de escrever uma tese sobre tudo, a sua virilidade atingiria seu ápice jovial.
Garanto que ainda teria neuroses.
Pensaria...
Caramba!
Cada detalhe e cada passo é tão bom que não sei pq precisamos de tanta testosterona assim.


Ayahuasca

2 comentários:

Belle disse...

experimenta estrógeno pra vc saber o q é uma tpm! =P

Lelé disse...

ô Aya,como diz o Xereto, até rolou uma lagriminha.

Eh isso mesmo, o tempo passa e apesar das experiencias a gente se esquece que por tras do homem grande e forte que se deita com a gente sempre tem pequeno menino.

Obrigada fofo.