Páginas

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Natal

    Nunca fui muito dado as comemorações natalinas onde se reúnem a mesma mesa para celebrar, pessoas que muitas vezes se desconheceram durante o decorrer do ano.
    Porém, este ano, tendo visto tudo que passei e todo amparo divino pelo qual pude contar, mesmo questionando a pequenez da data, me vejo na obrigação de no mínimo agradecer.
    Que nossa lembrança do menino Jesus nos remeta ao Cristo crucificado.
    Que isto permita que percebamos que, tanto o nascimento e a alegria, quanto a morte e a dor fazem parte do plano de Deus para conosco.
    Que conquistemos o discernimento para entender que o cosmos tem para conosco um propósito muito maior e que aprendamos, com isto, a agradecer a tudo que passamos, levando em conta que nossa vida terrena é um grão de areia perto do nosso propósito perante ao plano maior.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Fios soltos



   Por estes dias, tentando resgatar meus fios soltos, andei pensando em como as pessoas, para resolver seus problemas, não se importam com o tamanho dos problemas que podem criar a outras que estão diretamente envolvidas a eles e que portanto, tem sua parcela de culpa no fato delas estarem passando pelos mesmos.
   A primeira vista me veio em mente a mesquinhez das mesmas que nem tentam imaginar como se sentiriam se os problemas que elas tentam resolver tomassem a dimensão dos que elas criarão para os envolvidos no desespero de resolve-los.
   Enquanto eu esboçava a minha costumeira revolta para com o destino, lembrei do que ouvi em uma aula de rituais da qual participei.
   Falavam de Xangô, o Orixá tido como senhor da justiça, e explicavam que quando se trara de pedirmos justiça ao cosmos, apesar de ser Xangô quem domina esta área, pedir a sua interseção as vezes e dar um tiro no pé.
   Por ele ser muito correto em seus julgamentos, não só a situação em si sera avaliada e sim toda nossa trajetória de vida até chegarmos na suposta injustiça.
   Como bem sabemos, nossos fios soltos pelo caminho sempre tem peso nos nós que se apresentam em nossas vidas e avaliando por este lado temos muita culpa em toda injustiça que venha acometer nossos dias.
   Então me restou recolher amargamente minha revolta e brincar pensando que a galera la de cima deve pensar que eu sou alguém com superpoderes tomando por base os obstáculos que se apresentam.
   Continuando a brincadeira eu penso que se for verdade esta ideia que eles tem de mim, quem sou eu para questionar e vamos lá tocar a vida e ir desatando meus nós na medida que me for possível sem atormentar o bom e velho Xangô com coisas que cabem apenas a mim resolver.
   Em vez disso, peço apenas a espiritualidade o equilíbrio, a sensatez, a calma e o discernimento para que eu possa ir desatando meus nós sem desanimar pelo caminho até que minha caminhada permita que eu atinja um patamar onde me encontre no direito de clamar por alguma justiça.
   Se bem que acredito que os que chegam neste estagio, em relação as injustiças, preocupam-se mais em não comete-las de que defender-se das mesmas.







quinta-feira, 21 de agosto de 2014

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Mudanças


  É notório que somos seres mutantes e que precisamos eternamente das mudanças para que cresçamos em nossa caminhada e não caiamos no ostracismo do comodismo, e mais claro ainda é que toda mudança vem recheada de receios e medos.
   O medo não é e nunca sera nosso inimigo, como dizia Raul:
 "Preserve seu medo"; Pois é ele quem intui os teus próprios limites.
   Só vale salientar que ele deve apenas ser um amigo de caminhada e não tomar as rédias do teu destino.
   Nas mudanças de maior vulto é muito nítido nosso medo tentar suprimir nossa vontade de seguir em frente, mas, para isto, basta analisarmos as mudanças apenas como uma passagem de um dado momento de nossas vidas, que nos levara para territórios melhores ou piores; Se melhores, desfrute porque é tudo seu por mérito e caso seja para territórios hostis do qual te de arrependimento de ter mudado, apenas lembre...
   Sempre será tempo de uma nova mudança.






16/08/2014
   Se na teoria parece fácil, a prática pode te apresentar bem mais difícil.
   Quanto a isto, vale lembrar que a vida esta sempre te impulsionando rumo a evolução com suas grandes e enérgicas mãos apoiadas em tuas costas.
   Numa subida esta ajuda significa um apoio mais que providencial, porém ladeira abaixo pode te causar feridas cujas cicatrizes te acompanharão por toda eternidade.
   Cabe a nós estarmos atentos qual nossos objetivos e em relação a isto teremos a resposta de como as mãos da vida se fara presente em nossa caminhada.

sábado, 26 de julho de 2014

Fios em resgate

Já tinha lido isto, mas confesso que me admira quando, em dados momentos que passo, as escritas lidas em outros tempos, me serve muito mais como aprendizado de que quando eu não tinha a clareza da afinidade do conteúdo da mensagem com a minha vida.
Não tenho a devida evolução ainda de agradecer as pedras que se põem em meu caminho para que eu com elas evolua, porem não me julgo tão parco de entendimento a ponto de não agradecer o fato de, mesmo que a duras penas, a venda que cobria meus olhos esteja sendo tirada e eu tenha sido obrigado a "por as palavras a andar".
Que chegue o momento de eu andar lado a lado com minhas palavras sem que elas me atropelem.
Como o texto vem da velha sabedoria indígena, eu não teria, alem de agradecer aqueles que tem me assistido neste aprendizado todo, outra coisa a dizer senão...
Okê Caboclo!!!
Que assim seja e que assim se faça.


domingo, 22 de junho de 2014

Altivez

Em seu caminhar, não inveje tanto os que, com altivez, por você vivem a passar.
Valorize mais aqueles que ao teu lado desabam; Pois estes sim, quando você precisar, te ajudarão a levantar.
Só quem, ao menos uma vez, não suportou o fardo dos seus dias que reconhece a beleza existente em uma mão estendida.

sábado, 14 de junho de 2014

Carrossel


Quando nossas palavras, reclamações e conjecturas se tornam extremamente repetitivas sem qualquer vislumbre de mudança em nossos hábitos, é o indicio que, por mais exuberante que pareça nosso caminhar, certamente estamos andando em círculos. 

terça-feira, 27 de maio de 2014

Divino anjo


Quando tua força temporariamente se desfez, em meus olhos meu pai, que em teu socorro correu, cresceu.
Hoje ele, já não tão forte, me traz tua lembrança outra vez.
Já me disseram que quando estou em desespero, ao meu redor percebem a presença de uma luz feminina, se é que luz é dotada de sexo, e que eu noto esta presença, pois sempre que ela se apresenta, meus olhos, que ao meu ver, olhavam o nada enquanto a mente vagueia procurando entendimento, estão voltados para direção desta luz.
Estou certo que tu, que sempre olhou e orou por mim, ainda o faz.
A tão famosa galinha choca, com tua prole quando em vida, hoje me guarda debaixo de tuas asas de anjo.
Pelo amor que aprendi a sentir com vocês desde criança, creio nem precisar pedir que venha ao auxílio daquele que até hoje guarda tuas datas no coração.
Aprendi com ele, que por mais que eu seja dado a sentimentalismos, perto dele, de amor ainda não sei nada e isto, longe dos olhos da carne, você pôde muito bem ver dai.
Se tem algo que acalente a possível perda, é o fato de saber que livrando-se das amarras da carne, o coração da alma terá alvo e morada certa.
Que exemplos de vida vocês me proporcionaram vislumbrar.
Dizem que escolhemos a família que encarnamos; Eu posso dizer que escolhi muito bem aqueles que me apresentaram ao mundo nesta que ainda vivo.
Sei que não posso dizer ter sido um bom menino, mas deixo claro aqui meu desejo de ser um homem melhor.
Grato pela acolhida!
Para todo sempre estarão em meu coração.






domingo, 25 de maio de 2014

Grato !!!

Se pensarmos que. queira entendamos ou não, tudo que acontece conosco é simplesmente para nosso crescimento, este é o único sentimento que nos cabe ter.
A consciência de que, passamos pelo que precisamos passar, é o primeiro passo para adquirir habilidade necessária de lidar com as intempéries.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Força consciente

 
     A tempos eu tinha o habito de questionar os porquês de eu passar por tempestades, quando sempre traçava minha rota cuidadosamente por mares calmos e questionava muito toda a espiritualidade do cosmos por conta disto.
     Aos poucos fui percebendo que, por mais que se abalasse contra mim o que quer que fosse, na ultima hora, a guilhotina emperrava e eu encontrava um saída que, se não a que eu esperava, uma que de uma forma ou de outra me tirava são e salvo da situação.
     Comecei a tomar consciência disso e, mesmo que a resolução das dificuldades sempre acontecessem aos quarenta e cinco minutos do segundo tempo, me deixando num estado de tensão permanente, passei a agradecer este auxílio.
     Creio que, esta minha consciência de ter tido sempre esta ajuda me tornou mais forte e confiante.
     Hoje me percebo tendo muito mais certeza que as coisas terão solução ao seu devido tempo, principalmente quando me permito olhar para trás e verificar que para cada golpe desferido contra mim, de uma forma ou de outra, existe um agressor derrotado.
     Deixo aqui, sem distinção de hierarquia, meus agradecimentos a toda espiritualidade que sempre me auxiliou, mesmo quando eu nem notava. 
Amem! Adorei as almas! Hosana! Ogunhê! Epahey oyá! Namastê! Kao kabesilê! Ora yê yê ô! Saudações a grande Deusa! Optcha! Odò ìyá! Èpa Bàbá! Okê arô! Laroiê! Oni beijada! Saluba Nanã! Emojubá! Xetruaá! Atotô! e todas saudações mais existentes que não me vem a memória neste momento e até mesmo as que desconheço, pois hoje já não ocorro no mesmo erro de outrora de não reconhecer ajuda por desconhecer de onde veio.
     Tenho plena consciência que sempre haverá forçar negativas a serem vencidas.
     Porem, hoje tenho confiança plena na existência daqueles que sempre vieram ao meu auxílio, me fortalecendo e abrindo meus caminhos.
     Rogo ter o discernimento em sempre buscar meus ajustes internos e ser assim merecedor deste auxílio.
     E, para tudo que se atentar contra mim, não acreditando naqueles que me são protetores, só tenho uma coisa a dizer:
     Enfileirem-se! Pois estou indo de encontro aos meus obstáculos sem medo da derrota, cabeça erguida, coração aberto e pé no peito.



quinta-feira, 15 de maio de 2014

Mix - Playing for change

Coisas boas não necessariamente precisam ser presenciais.
Onde existe sintonia, tempo, espaço e distância perdem o sentido.


Mix - Playing for change

Grande exemplo de que tudo fica muito, mas muito bom quando cada um coloca a alma no que lhe coube fazer, sem se preocupar se o outro o mesmo o fez ou fara.


terça-feira, 6 de maio de 2014

domingo, 30 de março de 2014

Um domingo bom tem a cor da simplicidade


    Ultimamente vinha sempre acordando preocupado com tudo.
    Hoje ao acordar me vi feliz ao apenas perceber que ainda era domingo.
    Olhei maravilhado para o piso da minha sala que ontem comecei a arrumar para uma nova fase da minha vida e antes de temer as mudanças passei um café, servi aos Pretos Velhos e agradeci toda a espiritualidade por ter me mostrado que a vida mais simples pode ser muito mais e que é da simplicidade que brota a riqueza que sempre almejei.
    É nisto que depositarei todo meu empenho de hoje em diante.









sábado, 22 de março de 2014

Cumplicidade

A cumplicidade é que demarca território, urinar pelos cantos apenas deixara evidente o odor com o qual tua presença impregna o ambiente.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Lingua ( Toninho camisao Irmão luz 12.03.2014 )


Ficamos pedindo a DEUS armas
Estas para direcionarmos nossas vidas
Para desbastarmos nossas imperfeições criadas com o próprio tempo 
Queremos respostas de dores de nossa alma
De provas que passamos e pensamos serem injustas
Estamos sempre e constantemente à procura de fortunas
Caímos na desgraça da vida e perguntamos o por que
Enfrentamos a solidão e passamos por ofendidos
Somos traídos e declaramos ao mundo que inocente seriamos
Perdemos uma batalha independente de formas correspondidas e declararmos
Injustiçados
Queremos um amor puro mas o perdermos
Quando a nossa frente esteve
Culpando a outra parte por covarde ser
Enfim enfrentamos a solidão, o deserto, a chuva e o sol.
Dependendo de uma arma que temos escondida
E esta a mais poderosa que a própria bomba atômica
A nossa língua
Arma esta que nos levará ao céu ou inferno
Ao encontro deste DEUS ou do diabo
Músculo pequenino, mas o suficiente grande para acabar com a vida tua.
A de outrem e este mundo
Deletando de vez tua alma do compromisso DIVINO
A língua traiu CRISTO
E CRISTO com esta mesma pequena grande arma
Deixou ao mundo a experiência, a conduta que devemos seguir.
Historias que se espalharam aos quatro cantos
Lições que ainda as estudamos dentro de o amor compartilhar
Um dia que lembrarmos devemos cedo levantar
Colocarmos a frente de um espelho e este o nosso
Abrir bem nossa boca e colocá-la para fora
Sim colocar esta poderosa língua que veneno poder ser ou não
Olhar bem e respeitar tua capacidade de atingir este mundo dentro de todo universo
Ter a certeza que de todas as armas pedidas para um bom desenvolver
Foi-nos fornecida deste nossa formação corporal
Uma arma que para cima iremos com absoluta certeza
Se quisermos e acreditarmos ou para este enfermo pecaminoso
Onde todas as inúteis armas ficaram pra sempre ou em quase sempre
Respeitar a vida e saber a hora, o lugar, o dia, o momento.
De falar
Língua
Obra bem feita depois de nossos criados pensamentos
Emanar.

terça-feira, 4 de março de 2014

Força

Tua força não é determinada por quão potente seja o golpe que você pode desferir, mas sim pela quantidade de golpes que você consegue assimilar sem que perca tua essência.



sábado, 1 de março de 2014

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Peregrino


Pobre aspirante à peregrino...
Por desconhecer a distância que se encontra dos seus sonhos, super estima sua força de vontade no início, mas exaurido desiste no meio do caminho.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Caminhos & espinhos


Que minhas passadas sejam leves para que meus pés sintam a dor antes de tocar o espinho e que esta leveza permita que meu caminhar não danifique o caminho. ( Provérbio de um falso Índio )

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Outono


Das folhas caídas nenhum outono lembrei.
Da fruta mordida nenhuma semente ao solo lancei.
Dos passos que dei não sei ao certo quais eu errei.
Transpondo a curva do rio nada demais avistei.
Nas trupes por onde passei em nenhuma me firmei.
No tumulo aberto nenhuma lagrima chorei.
Sentado em meu canto penso em que tipo de homem eu fui, eu sou e serei.
Talvez a aparência de insensibilidade não mostre o quanto que já me doei e nestas entregas quanto do meu coração entreguei.
Se não me prendo à nada é porque entregas são, pelo que o nome já diz, algo de que eu nada esperei.
E caso não transpareça em mim, sim sou feliz.
Por saber que a cada entrega e empenho despendido em troca algo de bom comigo carreguei.



sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Passadas


A unica coisa boa que existe em voltar a rotina da labuta do dia a dia da minha vidinha é perceber que apesar de eu não ter concretizado a maior parte dos sonhos que ainda guardo dentro de mim, sem demagogia, eu não trocaria nenhum dos meus passos pelo caminho trilhado por outra pessoa.

Fênix


Do barro se fez e ao pó voltou, cinzas.
No eterno retorno ao todo depois dos vários parcos ou poucos que se findam.
De parcos e poucos se faz o todo, como de rimas se faz a poesia.
Porem não quero minha vida declamada, quero minha vida cantada numa doce melodia.

Não escolhi meus caminhos, trilhei os que a vida veio me proporcionando.
Comodismo...talvez. Medo e falta de vontade... Ledo engano.
Por tudo que fiz pago e paguei e hoje, por também tudo que fiz, já almejo meu bônus.
Ainda sigo sem pressa, porém consciente de ser eu merecedor de tudo aquilo que reclamo.

Na fornada da vida a trova é cantiga.
Na quentura do forno o querer muitas vezes é transtorno.