Páginas

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Liberdade



Minha casa não tem portas.
Não é necessário ser convidado para que nela possa entrar,
Mas se algo não for de seu agrado também não é necessário ser expulso,
Sinta-se a vontade pra sair quando quiser.


Ayahuasca

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Dia...Bom dia!


Yeha-noha!!!

Uaaaahhhhhhh!!!!!
05:45...
A umidade da noite cobrindo toda vegetação do jardim recém aparado exala um aroma suave de verde pelo ar.
No céu ainda escuro bailam nuvens escuras, porem ralas, levadas rapidamente pelo vento cobrindo e descobrindo vez ou outra a Deusa Lua num eterno brincar.
Passarinhos fazendo alvoroço e da chácara aos fundos ouvisse um galo anunciando o desabrochar de um novo dia.
Uma brisa suave refresca minha pele sem que lhe cause sensação de frio.

Pequenas gotas de uma promessa de chuva caem molhando meu rosto sem nem assim abalar minha satisfação.
Pequena demonstração da perfeição do cosmos.
Espreguiçando-me, comungo e agradeço aos elementais a sensação de vida no ar.
Quando nosso interior está vazio somos agonia.
Quando pleno...Só alegria.
Enfim...
A tudo e a todos os meus votos de um interior pleno deste maravilhoso dia.






Ayahuasca

sábado, 24 de novembro de 2007

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Silêncio


Procuro em palavras vazias uma forma de expressar o que sinto
Sera que minha poesia morreu assim tão cedo?
Estaria mente, alma e coração em completo conflito?
Teria eu em meu âmago encontrado o labririnto do medo?
Talvez eu nem tenha perdido a fala
Talvez eu só esteja assim...
Triste e perdido dentro de mim.


Ayahuasca

Emoções



Chore, sorria, se entristeça e vista-se de alegria.
Sem todas estas sensações não existiria arte, musica, poesia.


Ayahuasca

Sombras da vida



Nunca amaldiçoe as nuvens que sombreiam os dias ensolarados da sua vida
Certamente elas servem para que afastados da luminosidade fantasiosa do mundo, seus olhos consigam enxergar melhor o caminho.


Ayahuasca

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Quarto escuro



Tranco a porta do quarto escuro dos meus medos por dentro, engulo a chave e tento controlar meu pavor para não me entregar numa diarréia comprometedora.
Assim então me sinto cheio de razão sobre o medos dos outros.
Então por meio de uma pequena abertura próximo ao teto, por onde posso ver os transeuntes, sem muita nitidez confesso mas com garantia de que eles não possam me ver, eu grito acusadoramente a todos que por ali passam...
Covardes!




Ayahuasca

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Estrada solitária



Quando sentir-se totalmente perdido
E em meio a tua solidão, só o nada em volta de você
Lembre-se que nesta estrada nunca estamos sozinhos
É normal enxergarmos nossas dores
Mas as mazelas do mundo
São poucos os que podem ver


Ayahuasca

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Pena do homem pássaro



Gosto de ficar olhando o mar
Gosto do cheiro de mato e da grama recém cortada
Da boca que diz tudo mesmo que ainda calada

Do vento, do ar, de sonhar em voar
Da vida em sua essência mais pura
Mesmo que muitas vezes a mim pareça tão dura

Gosto de amar, de ser amado
De brigar e fazer as pazes
De viver bem relaxado

Gosto de em meus desarranjos parecer mais despojado
Pra disfarçar uma certa normalidade
Fico horas no espelho desarrumando o arrumado

Sou um paradoxo
De orgulho e vergonha...

Um misto de anjo e demônio
De medo e desejo
De real e anônimo

Um misto de crueldade e bondade
Do ter e querer
De prisão e liberdade

Em verdade sou um misto
Da minha própria realidade e vontade


Ayahuasca

As faces do vento



E veio ela no sopro leve do vento
Dissipou furacões, abrandou meus tormentos
Mexeu com a tábua das marés
Do mar revolto dos meus sentimentos
É vento forte, é brisa leve
Na dose certa pra cada momento
Às vezes em terra firme
Sopra suave na baixa-mar
Acariciando e refrescando meu corpo
Enquanto prepara o tempo para velejar
Em noites quentes venta forte
Enche minhas velas com seu forte soprar

Eu, entregue a própria sorte
Sou levado direto ao alto mar
E então,naquela imensidão escura
Quando num vascilo descrente a vida se mostra tão dura
Ela acalma meu hesitar
E pra que em momentos de duvida
Eu supere todos os meus medos
Me da de presente as estrelas
Pra que assim através delas
Possa ela me guiar

Ayahuasca

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Ilha dos desejos



E lá estava ela
Numa ilha a me amar
E eu, com meu amor assim distante
Já não conseguia me controlar

Sempre em meus pensamentos
Desejava com ela estar
E como um louco desvairado
Comecei a desejar

Desejei ser um peixe
Para até ela poder nadar
Mas de que isto adiantaria
Sem ter braços para abraçar

Desejei então ser um pássaro
E ao seu encontro voar
Mas também não vi vantagem
Se sua boca eu não pudesse beijar

E diante de tantos empecilhos
Transcendi meu próprio desejar
E completamente alucinado
Comecei a viajar

Desejei ser de uma só vez
A chuva, o vento, o sol, a areia e o mar
Para assim com todos os meus sentidos
Pudesse eu, meu amor acariciar

E há de se fazer minha vontade
E um dia como prêmio à insanidade
Nesta ilha dos desejos
Com meu amor irei morar


Ayahuasca

domingo, 4 de novembro de 2007

Os quatro elementos



A Energia da mãe natureza nunca precisou de alarde para se fazer presente, ela sempre existiu, mesmo quando passa a desapercebido até mesmo aos olhos de pessoas que se julgam tão sensíveis.
Respeitar as forças de seus elementos seria a forma mais sensata de se prestar culto a toda criação, afinal são elas as responsáveis por toda a vida neste planeta.
Elementais se desdobram em esforços em defendê-las do ser humano, tão arrogante a ponto de dizer não acreditar nestes seres invisíveis ao mesmo tempo em que num paradoxo podem ser vistos apregoando crenças em divindades tão palpáveis quanto estes.
Reza a lenda que a terra se misturou com a água para que moldada dessa forma e seca ao fogo do sol recebesse um sopro divino e assim deu origem ao homem.
E conta a história que mesmo o homem sendo filho destas quatro forças desde sua criação procurou criar divindades a sua semelhança para a elas prestar reverências se esquecendo assim de onde veio e que esta imagem e semelhança se encontra presente em sua essência e não em sua forma física, desprezando assim a verdadeira força vital.
E é por isto que hoje eu, na forma de uma pipa, que tremula no ar, tento passar minha mensagem utilizando a voz do vento e resgatar assim a verdadeira história.
Debicando hora para a direita, hora para a esquerda, rasgando e enfeitando o céu com papeis de seda colorida presto homenagem a quem é de mérito e direito...
Três vivas a cada um dos quatro elementos!!!


Ayahuasca

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Doce insanidade



A felicidade completa acontece quando conseguimos nos abstrair momentaneamente das tristezas num completo se enganar.


Ayahuasca

Paradoxo


A injustiça do ser humano comum não me amedronta tanto quanto a justiça daqueles que se intitulam justos.


Ayahuasca

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Cansaço


Cansei de fazer a dança da chuva
Achando que água do céu iria ganhar
Cansei de queimar meus pés em areias quentes
Acreditando que valia na dança confiar
Descobri que se acostumasse com a salubridade de minhas lagrimas
Minha sede poderia eu próprio matar
Libertar-se de crenças antigas não é deixar de sofrer
Mas sim com a dor se acostumar
E esperar apenas de si mesmo
Aquilo que os outros nunca poderiam te dar
É aprender que ninguém te fará nem mais triste ou feliz
Sem que pra isto você precise deixar
Cansei da arte de achar
Cansei de com arco e flecha andar armado
Cansei de caminhar
Cansei de estar cansado


Ayahuasca

sábado, 20 de outubro de 2007

Sopro


O amor esta no ar
O ódio dentro da gente
Aspirar e expirar, um exercício que faz bem
Para alma, corpo, e mente

Ayahuasca

Alívio


É quando meu coração encontra alguém que sabe entender minhas angustias, que vejo o quanto vale a pena ser sincero.


Ayahuasca

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Primavera


Você não é flor de florescer temporão.
É pra mim a primavera perfeita que venceu a crueldade da seca e germinando um dia em minha vida floriu pra todo sempre o cerrado do meu coração.


Ayahuasca

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Meu, nosso lugar.

O lugar que eu moro com você...
É uma miragem, não existe a não ser quando estou com você.
É por isto intocado, pois ninguém pode perceber.
Sua vista dá para qualquer lugar, basta à gente escolher.
Em nosso jardim as flores não perdem tempo em florescer a não ser que nossos olhos estejam juntos para assim vê-las nascer.
Somos vento e areia e nosso cantinho uma duna, que se muda, se transforma ao nosso simples querer



Ayahuasca

Um abraço de tristeza

Há muito tempo atrás uma amiga me perguntou se um anjo triste havia me abraçado, referindo-se simbolicamente ao fato de me achar muito triste naquele dado momento.
Eu, sem muito pensar, lembro que disse a ela...
O meu receio é ser eu este anjo e estar transmitindo tristeza às pessoas que eu amo quando estas recebem meu abraço.

Confesso que na época eu não tinha muita noção do porque tinha dito isto.
Interessante como com o passar do tempo a gente vai se dando conta de como algumas coisas que saem de nossas bocas sem muita elaboração podem conter uma verdade tão profunda.



Ayahuasca

Vale das sombras




Sob a densa neblina se esconde a melodia de um menestrel que cansou de cantar.
Em um vale frio repousa com um olhar fixo no infinito.
Os mais sensíveis podem, mesmo ele calado, ouvir lá de cima sua melancólica canção pelo ar.
Ele aprendeu com o tempo a encravar notas nas pausas das pausas, num compor restrito.
Suas notas agora são escritas nas partituras, em mensagens subliminar.
Pode-se ouvir, não se consegue gravar.
E segue ele compondo e compondo num transe exaustivo.
Não para que os outros o ouçam.
Mas para que ele, mesmo que em dia morto, se sinta mais vivo.


Ayahuasca

sábado, 15 de setembro de 2007

Lua


Graças dou a lua
Que tanto refresca e me acalma
Pois se pra mim existisse apenas o sol
Eu por certo queimaria minha alma.



Ayahuasca

Aclimatação


Nem só de espinhos e nem só de flores são nossas vidas.
Penso que o que recebemos é fruto de algo que fizemos.
Um acerto...
Um erro...
Enfim, a resposta do cosmos ao nosso momento, e são estas mudanças tão bruscas de sensações que não sei se agüento.
Um dia euforia, outro lamento.
Mas com certeza se hoje reflito sobre isto é por ser meu momento só sofrimento.
Não estamos acostumados a refletir sobre nossas felicidades, eu por certo não estou, talvez este seja o grande mal.
Apenas seres errantes sabem a dor de seus erros e se calejam nestes.
Não que por eles deixem de sofrer, mas talvez conviva melhor com o erro alheio.
Rogo luz aqueles que nunca tropeçaram, pois são fortes apenas em seus acertos.
Talvez se experimentasse na vida sequer um só erro, sucumbissem diante de seu próprio sofrimento.


Ayahuasca

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Meu jardim secreto


Tristeza é como tiririca no jardim.
Você capina, arranca suas batatas e sossega pensando que a matou, mas basta uma chuvinha pra ela nascer as pencas.
Penso que tal qual nossas alegrias as tristezas também são finitas e só cabe a nós viver intensamente os momentos felizes e digerir os que não são.
Pude constatar ao longo da vida, que gritar e espernear não surte efeito algum.
Mas como minhas mãos já estão calejadas no trato da terra sem também nenhum êxito, decidi deixa-la crescer, poda-la com destreza e carinho transformando das ervas daninhas das minhas tristezas um lindo gramado.
Para que assim elas possam conviver harmoniosamente com as flores das minhas alegrias num mesmo jardim.



Ayahuasca

O grande lago


Há certos momentos em nossas vidas em que ela se assemelha a um grande lago, onde nos encontramos bem no meio dele e as coisas que mais amamos e desejamos flutuando em nossa volta sem que possamos alcança-las com as mãos.
Quando tentamos de alguma forma traze-las para perto, sem perceber criamos leves ondas e estas acabam por levar cada vez mais longe de nós o que desejamos.
Acredito que nessas horas, o mais certo a fazer é interiorizar nossos desejos, abrandar nossa alma ansiosa e ficar calmo e tranqüilo entrando em sintonia com o próprio lago de nossas vidas.
Penso que agindo assim, as coisas que realmente são de nosso merecimento acabarão por se achegar a nós e as que não são, estas... nem que levássemos a vida toda se debatendo conseguiríamos alcançar.




Ayahuasca

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Desapercebido


Passou por mim...
Nem me viu.
Pensei até em me fazer ver, mas desisti.
Detesto chamar atenção com assovio.
Também não reclamo...
Faz parte do trato.
Só não posso deixar de sentir o vazio


Ayahuasca

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Felicidade


Num cochilo que dei ela voltou e me fez feliz.

Ayahuasca

Crônica de um sonho


Muito tempo atrás, num vilarejo longínquo, vivia um menino que como muitos dali já com tão pouca idade convivia com as misérias da vida.
Os brinquedos dele e de seus amiguinhos eram gravetos, troncos, pedras, até ossos de animais serviam e com a devida imaginação se transformavam em tudo que eles queriam que fossem carrinhos, caminhões de bombeiro, tudo mesmo o que a necessidade do momento lhes pedia.
Até que um dia apresentaram, a este projeto tupiniquim de Fernão Capelo Gaivota um bom velhinho, que o desejo de todos os bons meninos realizava e correndo foi ele contar a boa nova a todos, pois para ele agora seria fácil de qualquer um resolver seus problemas.
Pôxa!
Bastava ser bonzinho e zupt... resolvido.
Que fantástico!
Ao receber a noticia, seus amigos tiveram reações diferentes, os de idade um pouco mais avançada receberam-na com total descaso e ainda fizeram chacota.
Afinal... Por já estarem um pouco mais calejados com a vida seria mesmo imprudente acreditar em algo tão sem sentido.
Alguns dos mais novos se entusiasmaram, mas logo foram persuadidos com os argumentos realistas dos mais velhos e pela primeira vez na vida ele teve a sensação de se sentir só com seus sonhos.
Aos poucos ele foi se distanciando das outras crianças, não fisicamente, mas em pensamentos e ideais, guardava muitas vezes seu sonho a sete chaves, pois não lhe fazia bem se sentir tão diferente dos demais.
Ainda participava das brincadeiras, mas já não via tanta graça naqueles brinquedos imaginários, imaginação por imaginação seu sonho era bem melhor e agora ele imaginava coisa maior.
Na verdade seu sonho era uma coisa que ele numa destas visitas à cidade viu numa propaganda de revista que ele folheou na loja de quinquilharias do seu Altamiro.
Aquilo sim valia a pena imaginar.
Um aeroplano, que como dizia a propaganda, usando um elástico era lançado ao ar e prometia flutuar livremente por alguns instantes.
Uma espécie de bodoque, mas com uma finalidade bem melhor que a de matar passarinhos.
Ah!
Era isto que ele queria, seria bonzinho e um dia certamente receberia seu prêmio.
O tempo foi passando e uma vez por ano ele ficava a espera da concretização do trato.
Entre a felicidade da possibilidade e a ansiedade da frustração muitas vezes ele se viu cansado, mas nunca cogitou deixar de sonhar, só se perguntava se estava sendo bom o bastante.
Até que numa dada noite, num destes dias 24, ele percebeu algo diferente, enquanto todos já estavam dormindo ele notou que do barracão onde seu pai guardava as ferramentas vinha uma luz.
Em meio ao medo e a curiosidade ele correu para averiguar do que se tratava e pelas frestas das madeiras mal rejuntadas pôde ele perceber que se tratava de inúmeras luzes coloridas que piscavam alternadamente.
Empurrando com esforço a porta do barracão, que teimava sempre em emperrar, ele pode ter a visão de algo com o que ele nunca sonhara ali na sua frente não estava o aeroplano que ele tanto desejava, mas sim uma coisa muito melhor.
Era uma miniatura de nave espacial e ao seu lado não existia um elástico pra lançá-la e sim um controle remoto que não me perguntem como ele conseguiu manusear, pois bem sabemos que quando um sonhador encontra seu sonho não é necessário nenhum manual de instrução, a adaptação é de fato imediata.
E foi ele para o descampado, ainda não acreditando no que via testar seu presente.
Precisou de muito pouco tempo pra que sua navezinha já estivesse subindo muito alto, dando vôos rasantes e fazendo manobras radicais sem ele mesmo saber o que significavam estas coisas.
Que sensação maravilhosa ter nas próprias mãos o controle de seu sonho.
Que sensação de liberdade.
E ele ali sozinho ficava imaginando o que diriam todos ao depararem com aquela formosura, ao realmente perceberem que o seu sonho era real, ele mal podia conter toda aquela felicidade.
E antes que amanhecesse ele teve a idéia de voltar sem falar nada a ninguém e só contar quando por mais uma vez viessem perguntar, com certo sarcasmo, se ele tinha recebido alguma encomenda naquela noite e ele iria à forra depois de tantas gozações.
Mas, foi no caminho de volta que algo ainda mais inacreditável lhe aconteceria.
Voltando pode notar ao longe que alguém no meio da trilha esperava sentado, não sentiu medo, pois a sensação da presença do estranho era boa.
Pensou ser o bom velhinho em pessoa para ver sua reação, mas conforme foi chegando perto percebeu não se parecer nada com a descrição que lhe deram dele, este se tratava de um homem franzino, de pele escura, mas a barba e o cabelo branco, o olhar doce e a serenidade contagiante, batiam bem com a descrição.
Isto não importava mesmo.
Apressou-se em chegar para desfiar o rosário de agradecimentos e antes que ele pudesse falar alguma coisa o bom velhinho lhe diz:
Feliz né filho?
Ele responde:
Não tenho palavras para dizer quanto, é muito mais do que eu sempre sonhei, nem imaginava merecer tanto.
E o bom velhinho pede que o menino se sente, pois ele precisa lhe explicar algo que lhe seria muito mais importante que o presente em si.
Com a mesma serenidade o bom velhinho diz:
Sabia que você se sentiria assim e sei que boa parte desta felicidade não se deve somente ao presente, mas sim pela certeza que seu sonho é real e ainda muito melhor do que você imaginava.
Não quero que te entristeça, quero é que entenda que este sonho é realmente teu, mas ainda não é chegada à hora de vivenciá-lo, só resolvi mostrá-lo a ti para que saibas o que de bom te espera e não seja mais um a perder o seu sonho pelos tristes caminhos da vida.
Preciso levar seu sonho comigo e gostaria de te deixar também a certeza que estarei cuidando com zelo dele para quando a hora certa chegar.
Só te advirto de uma coisa...
Você mesmo já percebeu que ele é muito mais do que julgas merecer, portanto siga seus dias se esforçando em realmente merecê-lo.
As palavras do ancião ecoam na mente do menino dando piruetas e as lágrimas lhe impedem de enxergar o exato momento em que o bom velhinho se despede levando consigo o tão esperado sonho.
O menino sem nada entender fica ali parado por não se sabe quanto tempo até que resolve seguir no caminho de volta.
Quem o veria naquele momento imaginaria que ele caminhava serenamente, mas sua mente fervilhava em questionamentos e incertezas.
Primeiro pensou qual seria o propósito daquilo tudo?
Depois, que iria continuar convivendo com as chacotas dos outros sem poder nada provar.
E por um bom tempo ficou tentando entender porque deixaram ele sentir o gosto de seu sonho se ainda não merecia vivê-lo intensamente.
Até que a fúria do mar que violentamente atacava a praia de sua alma acalmou e ele decidiu continuar vivendo, sonhando e esperando chegar à hora de vivenciar seu sonho.
Hoje ele já com a barba e os cabelos grisalhos, senta em cima do tempo vivido e segue sua vida de forma normal, se esforçando muito entre um tropeço e outro para fazer por merecer seu sonho.
Só se diferencia dos outros quando todas as noites antes de dormir, pede que sua navezinha sobrevoe seus sonhos e faça com ele um contato imediato de qualquer que seja o grau.



Ayahuasca

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Encontro


Um misto de vinho e alma num teor alcoólico agradável que o permitia transferir-se para o paraíso dos que buscam a felicidade.Suas vestes limpas e normais não deixavam transparecer em suas entranhas o pó e a fuligem das calçadas por ele andadas.Lindas eram as tardes e ainda mais maravilhosas as noites por ele tão esperadas.Diante dos olhos urbanos, escondidos por detrás das estruturas metálicas, tentava seus instintos pecaminosos disfarçar.Grandes são os homens, grandes são as mulheres, os poetas e as poesias escritas por suas amadas.Em meio a fumaça sua aparição era sempre esperada, mesmo por aqueles que suas atitudes recriminavam.Era alento, assunto e motivo de estórias criadas.Mas como disse...Grandes são os homens, grandes são as mulheres e inúmeros são os dedos das mãos não calejadas.


Ayahuasca

Labirinto


Nunca pensei ser eu mercedor
De algo tão lindo assim
Quando perdido, me encontro
Ao te encontrar assim, perdida em mim.


Ayahuasca

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Estações d'alma


Um domingo maravilhoso de sol.
Temperatura amena do tipo que aquece o sangue em nossas veias acompanhada do frescor de uma brisa soprando tão levemente que parece apenas existir para que possa sutilmente balançar as madeixas dos anjos, mas que é suficiente para que mantenha nossa temperatura interna agradável.
E você olha o céu, as nuvens, os pássaros e tudo em volta com olhar de um ser apaixonado pela vida.
Como seu corpo se encontra cansado da semana que se passou, resolve descansar após o almoço para que mais tarde esteja bem preparado para fazer uma das coisas que você mais gosta na vida.
Depois de um descanso merecido você se banha e se apronta como se lá fora existisse apenas a certeza de um dia lindo.
E quando você abre sua porta é presenteado pela mesma brisa com alguns respingos de uma garoa fria que chega a congelar seus ossos.
Pra onde se foi aquele dia lindo, o céu, os pássaros e tudo de bom que você acabara de admirar?
Então, todos meus sentidos adentram aquela camada  cinza de névoa e me envolvo com o mau tempo.
Sei que os dias não podem ser classificados pelo seu clima e sim pelas intempéries de nossas almas.
Portanto afirmo com convicção...
Odeio dias chuvosos quando estes se apresentam a mim salpicados de minha própria melancolia.


Ayahuasca

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Primavera nos dentes



As folhas ainda balançavam ao sopro da brisa nem se importando se raizes ja não conseguiam tirar do solo seu proprio sustento.


Ayahuasca

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Convivência


Existem flores que não conseguem viver harmoniosamente em um ramalhete.
A estas o destino reserva um lindo solitário.


Ayahuasca

domingo, 19 de agosto de 2007

Vem amor...


Vem chegando de mansinho, cuida deste passarinho que nem pensava fazer de ti seu ninho e hoje não sabe mais viver sem teu calor.

Ayahuasca

Anjo


Você fez a mim muito bem, fez com que eu me sentisse alguém.
Sinto a tua falta na falta de mim e neste vazio me sinto assim, corpo trêmulo, coração pequeno.
Na falta da alegria tristeza eu esbanjo.
Não sei se necessito de remédio ou veneno, sei só que céu é inferno na falta de um anjo.


Ayahuasca

sábado, 18 de agosto de 2007

Seca d'alma

Solo árido de terra rachada, a muito clamando por água.
Esta água que em você foi encontrada, meu oasis neste deserto de cactos espinhentos.
Por mais seco que eu esteja por fora, inunda-me de alegria por dentro.




Ayahuasca

Tempo


Ontem, hoje, amanhã...
Mera fração de um mesmo tempo.
Penso que existem simultaneamente, mas que deveríamos dar mais valor ao presente.
Por mais mórbido que nos pareça, é o mais real da vida que temos.
Enquanto analisamos o passado pra elaborar o futuro esquecemos do presente.
Bosta de estratégia que nos impede de viver o hoje.
Todos têm seu devido valor, mas sou fã incondicional do presente.
O passado já não existe, o futuro quando e se existir já deixou de ser.
O presente...ahhh!!! maravilha.
Como o nome já diz é um agrado.
É a falta ou excesso de medo, a fome, a dor e a alegria sem programação, sem estudo.
Cruel às vezes, mas lindo em sua simplicidade de ser.
O passado foi assim, mas...
O futuro pode ser, mas...
No presente vivo, nele fiz ou tento fazer minha morada.
Pois se hoje morrer, terei a eternidade pra me arrepender do passado e me gabar de não ter perdido meu tempo elaborando nada.


Ayahuasca

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Desmistificando o cosmos

As estrelas são todas aquelas pessoas que temos a felicidade de conviver bem.
Portanto, nunca deixe de brilhar.


Ayahuasca

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Desencanto


Ah! Mar...
Como pôde tanto me desapontar?
Eu em frente a ti admirado, diria até maravilhado e sonhando em tuas belezas mergulhar.
Olhava suas águas cristalinas, as marolas que aos poucos cresciam e ao crescer prometiam em uma onda se formar.
Foi quando uma doce voz amiga veio me cochichar.
Disse que preferia que sua mensagem fosse de alegria mas isto ficaria para outro dia pois precisava me alertar. Dizer que o mar, por mais belo que fosse, só queria me enganar e a onda, que eu tanto esperava, nunca iria quebrar.
E foi como se quebrasse o encanto, como se meu pranto limpasse meus olhos para que eu pudesse enxergar.
As suas águas agora turvas já não faziam marolas e o mar agora recuava, como quem tem algo a ocultar.
Deixando para mim, um candidato a marujo que perdeu a vontade de navegar, apenas a sensação da areia fria que meus pés agora eram obrigados a pisar.
Ah! Mar...Nunca senti tua água tão salgada, Nunca tão longe minha alma foi lançada, Nunca quis tanto chorar.
Mas hoje entendo a missão do seu vai e vem.
Leva para alto mar minha alegria, devolve em forma de melancolia para que eu até o fim de meus dias de ti possa lembrar.



Ayahuasca

Deserto


Só o silêncio me entende.
Só ele é capaz de ouvir no ruído ensurdecedor da minha mente minha total falta de som e entender o vazio do coração disfarçado num sorriso.
Sorriso este que não engana mais minha alma, que segue perambulando pelo deserto da vida na busca vã de um oásis pois bem sabe que o único existente secou.
Enquanto eu fitava abobado a doce face da minha amada sem que percebesse sua água evaporou com o ardor do sol da nossa paixão.
Neste deserto ardente de uma vida sem sentido tudo parece ser momentâneo e a eternidade já não mais parece ser capaz de eternizar-se em um simples momento.
Silêncio, ausência, lamento são tudo dores da vida, portanto hoje vivo sofrimento.
Ah!
Como eu gostaria que existisse alguém que pudesse dizer:
Eu bem que avisei!
Do destino eu só cobro não ter sido avisado, pois a ele sou grato por tudo que me deu e se enganam aqueles que pensam que eu sabendo teria evitado a dor da despedida.
Mas garanto que uma vez avisado teria melhor aproveitado meus raros momentos de vida.



Ayahuasca



A verdadeira sapiência




E perguntava o aprendiz ao velho sábio...
Qual o mais sábio entre todos os sábios?
No que responde o ancião...
O aprendiz, pois ainda pensa nada saber.



Ayahuasca

O Semeador

Amor...
Como o mundo seria bem melhor se déssemos a este enorme sentimento o mesmo valor que damos aos sentimentos pequenos e mesquinhos que perambulam entre nós.
Mas não...Ao amor pedimos fidelidade, já o ódio, damos aos fardos não percebendo que a colheita é apenas o resultado das sementes lançadas em nossa lavoura.


Ayahuasca

Grandes meninos, pequenos homens


Ah! Tanto desejo e ansiedade, tanta vontade entrelaçada a tanto temor e apreensão.
Acredito que a primeira vez pareça mesmo que será a ultima, uma espécie de vamos logo com isto que quero também ser membro da grande classe dos “normais” e ser aceito por todos.
Aquela sensação de ritual de iniciação muito pior que participar daqueles jogos tribais onde os meninos são lançados das alturas apenas presos pelo pé por um cipó retorcido.
Digo muito pior porque, nestes tipos de jogos tribais todos já sabem que os que participam são iniciados, já os rituais das comunidades evoluídas são individuais e velados.
É nesta fase que o homem mais usa sua mente contra ele mesmo, se tortura numa cobrança infinita como se a experiência deveria ser qualidade de nascença.
Quanta testosterona perdida em meio aquela vontade de fazer direito, em meio à obrigatoriedade de ser “o cara”.
Engraçado como ao passo que o homem vai diminuindo a sua virilidade jovial adquiri uma certa experiência e aprende a lidar muito melhor com seus temores.
Digo lidar melhor, pq os temores de um homem nunca cessam, estes vão variando entre os “ninguém pode saber que ainda nada sei”, “tenho que saber mais que os anteriores que ela teve” e por fim quando estes ficam tão passadinhos e já não se esquenta com isto vem aquele...”quanto tempo me resta de virilidade para eu curtir esta coisa tão boa”.
Penso que o homem deveria nascer velho e impotente, para que tivesse que começar a sua vida sexual percebendo detalhes que se passam desapercebidos sobre sua parceira, no afã de dar a ela o melhor sem ter virilidade alguma e conforme este estudo fosse se aprofundando ao longo dos anos a sua virilidade iria se despertando como um prêmio de bom comportamento e devoção ao prazer alheio.
Quando chegasse a ponto de escrever uma tese sobre tudo, a sua virilidade atingiria seu ápice jovial.
Garanto que ainda teria neuroses.
Pensaria...
Caramba!
Cada detalhe e cada passo é tão bom que não sei pq precisamos de tanta testosterona assim.


Ayahuasca

Vôo às cegas


Como um pássaro imerso no tédio de seu ninho
sinto um peso em meu peito que me dificulta a respirar.
Regurgito o tédio do mundo e penso em voar.
Mas uma dor que não sei de onde vem
faz com que eu recolha as minhas asas e receie me lançar,
até que o vento leve do amor sopre.
Então como por impulso me lanço no desconhecido,
como se a dor já não mais existisse,
como se as cicatrizes da alma fossem lembranças mentirosas.
Mas como a humildade não é uma qualidade dos pássaros,
busco as faixas mais altas deste imenso céu
esqueço os limites de tempo e espaço
Entro noite adentro buscando as estrelas
e neste vôo às escuras minhas asas se cansam.
Então me dou conta de quem sou
apenas um pássaro tentando buscar algo
que não pode alcançar.
O caminho de volta é longo,
o cansaço me faz despencar.
E como seqüela deste tombo, ganho uma amnésia,
Que faz com que eu reincida sempre no mesmo erro.

Ayahuasca

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Curva do rio


Perdi um amor
Na curva de um rio
Ela se foi e nem sequer se despediu
Olhando a paisagem ao redor
Ao longe pude ver
Um passarinho que saltitante cantava
O que dizia não sei
Mas a mim pareceu
Eu bem que te avisei


Ayahuasca

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Felicidade


A felicidade não é como um vizinho chato, que vive nos visitando pra incomodar. Ela é como aquele doce amigo que vive a nos acalentar. E temos que estar atentos pra que antes mesmo que toque nossa porta, a gente abra e convide pra entrar.


Ayahuasca

Sinestesia


Nenhum livro lhe dará a dimensão exata do perfume de uma rosa, nem da dor causada por seus espinhos.

Ayahuasca

Fênix


Como a Fênix, renasço das cinzas dos meus erros, muito mais consciente para atingir a luz de meus futuros acertos.

Ayahuasca

Estrelas


As estrelas são todas aquelas pessoas que temos a felicidade de conviver bem.
Nunca deixe de brilhar.

Ayahuasca

Iluminada


Você é iluminada... Quando não retém sua luz natural dentro de ti e a distribui aos que te rodeiam.
E eu sou abençoado... Quando recebo suas visitas

Ayahuasca